terça-feira, 9 de outubro de 2012

Afinal, da onde vem o Óleo de Canola?

Bom, hoje em dia todo mundo escuta muito falar em Óleo de Canola.

Mas afinal, o que é a Canola? É uma flor? Da onde vem o óleo?
Bom, como no rótulo dos Óleos de Canola espalhados pelo mercado existe uma flor amarela, as pessoas acham que a Canola é uma flor.

Mas eu explico.

O Óleo de Canola é extraído da semente de uma planta, chamada COLZA (foto ao lado ==>)
Só que existe uma substância tóxica na semente da Colza (ácido erúcico), que obviamente não pode ser ingerido.

Então, a indústria Canadense isolou essa substância e dai vem o nome
CANandian Oil Low Acid = CANOLA

Que significa = Óleo Canadense Isento de Ácido

Dentre os óleos presentes no mercado, ele acaba sendo um dos melhores.

Mas vale a pena lembrar que como o próprio nome já diz, é um óleo, ok?
Então deve ser consumido com moderação!




terça-feira, 2 de outubro de 2012

Ervas Congeladas em Azeite


ERVAS PARA TEMPERAR


Sabemos que freezer pode ser um grande amigo, já que muitas pessoas moram sozinhas e não tem tempo de preparar algo fresco OU por preservar alimentos que não teremos tempo de consumir.


Para as pessoas que gostam de azeite, ervas & especiarias e que curtem ir para a cozinha, achei na internet uma dica muito boa. E como já sabem: Coisas boas devem ser partilhadas.

Congelando as ervas da forma abaixo, elas não escurecem não perdem sabor e nem o aroma

Passos para Congelamento das ervas em azeite ou manteiga sem sal (derretida)

  1. Escolher ervas frescas, de preferência do mercado ou o seu próprio jardim
  2. Se quiser você pode picá-las bem, ou deixá-las em ramos e folhas maiores. Na foto, as ervas foram finamente picadas
  3. Colocar em forminhas de gelo (até a metade)
  4. Você pode misturar as ervas (sálvia, tomilho, alecrim), fazendo assim um mix de ervas
  5. Colocar azeite extra-virgem de oliva ou manteiga derretida sem sal sobre as ervas
  6. Cobrir com filme plástico e congelar
  7. Remove os cubos congelados e armazenar em recipientes ou sacos pequenos de congelamento
  8. Não esqueça de etiquetar cada embalagem ou o saco com o tipo de erva (e óleo) dentro
  9. Para utilizar basta pegar o cubo que deseja colocar na panela e utilizar, seu azeite vai ter todo o sabor e perfume das ervas. 
Obs: Esse método é para ervas que são adicionadas no inicio do preparo, ervas como manjericão, salsa não são aconselháveis.

sábado, 29 de setembro de 2012

Dica de geleia para dor de garganta

Bom, como vocês já sabem, eu sou a favor das dicas fáceis e funcionais.

Achei mais uma na internet esses dias e vale super a pena partilhar.

É uma receitinha (bem caseira) de geleia natural, ótimo para quem está com dor de garganta/ garganta inflamada


Ingredientes:

1 limão cortado em fatias 
Mel puro (o suficiente)
Gengibre cortado em fatias

Modo de preparo: 
Colocar os ingredientes acima em um pote de vidro com tampa (tipo esses de papinha infantil)
Fechar o recipiente e deixar na geladeira (até ele formar uma "geleia"). 
Essa receita dura de 2 a 3 meses. 


Para servir: Colocar em uma xícara água fervente e utilizar uma colher de sopa dessa geleia.

Se quiser, pode adicionar própolis, hortelã, ou outra erva, de acordo com sua necessidade

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Dica bacaninha pra quem esquece de beber água

Como nutricionista, em minha prática clínica, vejo que as pessoas bebem pouca água porque se esquecem!

Costumo sempre falar aos desacostumados a adotarem alguns "truques" pra criarem o hábito de se hidratarem. Segue abaixo alguns deles:


  • sempre que você passar perto de um bebedouro = BEBA 1 COPO DÁGUA;
  • quando for sair da sua casa = BEBA 1 COPO DÁGUA;
  • quando chegar em sua casa = BEBA 1 COPO DÁGUA;
  • quando chegar em novos locais = BEBA 1 COPO DÁGUA;
  • sempre que lhe oferecerem = BEBA 1 COPO DÁGUA;
  • cansou de ficar sentado em sua mesa de trabalho? Levante e BEBA 1 COPO DÁGUA;

E uma boa dica para medir o quanto de água você tomou ao longo do dia, é utilizar garrafinhas de água!

Se você costuma comprar dessas pequenas, que tem 510ml, você tem que beber 4 delas

Na sua casa, você pode deixar na geladeira, por exemplo, uma garrafa de 2l com água. E assim você saberá exatamente que deve tomar 1 garrafa desses por dia!


Quer se controlar ainda mais?

Confira a ideia abaixo (foto ao lado):

Em uma garrafa de 2 Litros, cole etiquetas com os horário que deve beber água.
Assim, você fraciona certinho o horário e a quantidade
Desse jeito fica fácil você "cumprir essa missão"

Essa ultima dica, da "garrafa fracionada", não foi de minha autoria. Eu achei na rede.

Mas acredito que coisas boas devem ser partilhadas!

=o)

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Hamburguinho de ricota com palitos de legumes!

Chegou em casa depois de um exaustivo dia e não tem nem ideia do que fazer para comer?

Confira abaixo, uma receitinha de Jantar rápido, simples, barato, diferente e muito gostoso!


HAMBURGUINHO DE RICOTA COM PALITOS DE LEGUMES!

Os ingredientes são básicos e pode até ser que você já tenha boa parte deles na geladeira:


Ricota, Cenoura, Pepino, Salsinha, Cebolinha, Azeite para grelhar e temperinhos adicionais!



Corte a ricota com mais ou menos 1 dedo de espessura. Derrame em uma frigideira anti aderente um fiozinho de azeite e coloque a ricota para grelhar. Deixe por uns 10 minutos e então vire ela do outro lado.

Adicione um pouco de cebolinha em cima da ricota e tampe por uns minutinhos.


E PRONTO!


Quanto aos palitos de legumes, pode usar cenoura, pepino, salsão, erva-doce...basta soltar a criatividade.

Na foto do meu prato, fiz também um molho de mostarda com alcaparras, para comer com os palitinhos.

Mas você pode fazer o molhinho que mais gostar...ou comer os legumes puros mesmo! 

Que já são uma Delícia!






Lembre-se de variar: ao invés da salsinha, você pode adicionar alho-porro, folhas de majericão, ou outros temperos para dar um "tchans" na ricota!

Com esse jantar simples, você vai estar ingerido proteínas (por conta da ricota) e vitaminas e minerais (dos legumes)...um jantarzinho leve mas que vai lhe deixar super saciado!
Tá ótimo, não está?

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Já ouviu falar de “salada em taça” ou “salada em copo”?

Pois é...não é nada mais que uma maneira chique de comer uma simples salada (mas cá pra nós...dá muito mais gosto de comer uma salada bonita assim).

Ví essa apresentação em um casamento ano passado e achei a ideia sensacional!

Chame a família ou os amigos para um jantarzinho na sua casa e antes dos pratos quentes  sirva a salada em taças...garanto que até os que não gostam vão pelo menos experimentar.

Afinal, comer começa com os olhos!

Dicas de saladas gostosas e que ficam lindas dentro dos vidros:




<=========  Salada #1:
Alface, tomate cereja, mussarela de búfala.



Salada #2:  =========>
Cebola roxa, tomate, camarão (ou salmão) e salsinha.



Salada #3: (abaixo)
Mandioquinha cozida, alface, cenoura, ovo de codorna, champignon e moyashi.


Deixe sua imaginação rolar solta.

Lembre-se:
  • colocar ingredientes cortados em pequenos pedaços (para facilitar);
  • quanto mais colorido, mais bonito, mais gostoso e mais vitaminado;
  • regue com azeite e especiarias (como manjericão, orégano, salsinha, gengibre...pois dá um toque super especial);
  • se desejar adicione croutons para dar uma crocância.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Jornal Nacional destaca estudo de Harvard que condena carne

Maior fonte de informação da população do Brasil destaca condenação de Harvard ao consumo de carne

O Jornal Nacional, provavelmente a maior fonte de informação de grande maioria da população brasileira, destacou essa semana o estudo publicado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard que vem sendo comentado no mundo todo. Entenda mais sobre este novo estudo que condena a carne.
A matéria do Jornal Nacional começa com a seguinte afirmação:

“Um estudo realizado em uma das universidades mais prestigiadas dos EUA concluiu que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de doenças graves que podem levar à morte precocemente.”

Se você consome mais que 85g por dia (meio bife), redobre a atenção ao vídeo abaixo.

Durante a matéria, o Jornal Nacional destacou também que os estudiosos analisaram mais de 120 mil pessoas durante quase 30 anos e consideraram uma quantidade diária pequena (85g ou meio bife). Se pensarmos nos padrões de consumo considerados normais, como os grandes bifes dos brasileiros e dos norte-americanos no almoço e no jantar, os riscos podem triplicar.

Assista à matéria na íntegra no YouTube


Fonte: ViSta-se - 16.03.2012, através do site http://cantinhovegetariano.blogspot.com.br/2012/03/jornal-nacional-destaca-estudo-de.html

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Aromaterapia a favor da saúde

Combinação de óleos essenciais é uma das opções para relaxar


Assim como têm o poder de ativar memórias e fazer as pessoas se sentirem em determinados momentos do passado, os cheiros podem atuar em outras áreas relacionadas aos sentimentos. Por isso, a aromaterapia, que utiliza princípios ativos de plantas medicinais aromáticas para equilibrar o corpo e a mente, é uma alternativa de tratamento para quem apresenta sinais de estresse. O método promete amenizar sintomas como ansiedade, irritabilidade, taquicardia, depressão, redução da libido, dificuldade de concentração e distúrbios no apetite.

Uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) avaliou a eficácia da aromaterapia na diminuição dos níveis de estresse. O estudo foi feito com 36 estudantes de cursos da área da saúde entre 18 a 29 anos. Desse total, 18 receberam o tratamento, realizado em sete sessões de dez minutos de inalação de uma mistura de óleos essenciais, e 18 não. No primeiro grupo, houve redução de 24% no nível de estresse e de 19% na ansiedade. No segundo, houve redução apenas no nível de estresse (11%). 


A psicóloga e proprietária da consultoria By Sâmia Aromaterapia, Sâmia Maluf, explica que a técnica funciona porque o nariz é uma espécie de porta para o cérebro. Quando sente um aroma, o nariz envia informações para o bulbo-olfatório, que as transmite ao sistema límbico, responsável por emoções e comportamentos. Assim que chega a esse local, o cheiro começa a agir. Isso normalmente ocorre em menos de três segundos. "É por isso que a aromaterapia traz respostas imediatas ao organismo", diz. 


A aromaterapia faz uso de óleos essenciais, óleos vegetais e essências sintéticas. Os essenciais são aromas destilados retirados da natureza que agem terapeuticamente porque desempenham uma função na memória olfativa do paciente. Os vegetais são usados para diluir os essenciais que precisam ser suavizados. Já as essências sintéticas, que imitam as naturais, podem causar bem-estar, mas não servem como tratamento. "Ao inalar certa essência, a pessoa pode até notar resultados imediatos, mas não a longo prazo", explica a especialista. 


Esses óleos podem ser aplicados de diversas formas, como inalação, massagem, e compressa. De acordo com Sâmia, tanto faz se os líquidos são colocados em lenços e inalados, incluídos na fórmula de sabonetes, usados em massagens ou ainda espirrados no ambiente. Uma das únicas restrições é quanto à aplicação direta na pele. Não pode, alerta Sâmia. 

Combinações para reduzir o estresse 

Para diminuir os sintomas gerais do estresse, acrescente cinco gotas de óleo essencial de cedro, três gotas de óleo essencial de alecrim e três gotas de óleo essencial de palmarosa a dois litros de água. Espirre a mistura pela casa e procure relaxar. Se quiser driblar especificamente a insônia, aromatize o ambiente com óleo essencial de lavanda ou massageie a base dos pés com duas gotas de manjerona.  



Para deixar a ansiedade de lado, a receita indicada por Sâmia contém seis gotas de óleo essencial de lavanda, duas gotas de óleo essencial de camomila e quatro gotas de óleo essencial de ylang-ylang, todas diluídas em 20 ml de óleo vegetal de semente de uva. Use a mistura para fazer uma massagem relaxante no corpo. Veja quais outros óleos essenciais podem ajudar a combater os males trazidos pelo estresse: 
Para melhorar o sono: laranja, manjerona e lavanda. 
Para se acalmar: camomila, jasmim, lavanda, citronela, palmarosa, bergamota, tangerina e pau rosa. 
Para ter mais energia: pimenta negra, hortelã pimenta, carda, momo, cravo, canela, hortelã do Brasil, tomilho, gengibre e manjericão. 
Para aumentar a libido: Patchouli, rosa, ylang-ylang, jasmim, gerânio e cardamomo. 
Para combater sinais de depressão: gerânio, petitgrain, tangerina, tomilho, bergamota, olíbano, sálvia, esclareia e rosa.
Para facilitar a respiração: cipestre, eucalipto glóbulos, hortelã pimenta, tea tree e hortelã do Brasil.  


Fonte: http://nipponcookery.blogspot.com.br/2012/08/aromaterapia-ajuda-reduzir-sintomas-do.html acessado em 30/08/12


***  ***  ***  ***  ***  ***  ***  ***   ***  ***  ***  ***   ***
Eu, Patricia Ambrogi (Nutricionista),
Realizo Consultas em Nutrição na loja By Samia, em Perdizes - SP
Clique aqui e veja os locais aonde eu atendo

***  ***  ***  ***  ***  ***  ***  ***   ***  ***  ***  ***   ***  



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Confiram as profissões que mais geram ganho de peso


Pesquisa dos Estados Unidos listou as cinco primeiras do ranking

SÃO PAULO – Se você anda sentindo que o manequim tem aumentado nos últimos tempos, uma explicação está no seu trabalho. Ao menos é o que aponta estudo do CareerBuilder, conduzido pela Harris Interactive com 5.700 trabalhadores, que revelou quais são as profissões que mais geram ganho de peso.

De acordo com o levantamento, quem trabalha como agente de viagens ou procurador/ juiz, por exemplo, tem mais chances de engordar. Veja abaixo as dez profissões que mais aumentam o número de manequim.



Agente de viagens
Procurador/ juiz
Assistente social
Professor
Artista/ designer/ arquiteto
Assistente administrativo
Médico
Serviços de proteção (polícia, bombeiro
Marketing/ relações públicas profissionais
Tecnologia da informação profissional

Por que os profissionais ganham peso?

Segundo o estudo, 44% dos profissionais ganharam peso em seu trabalho atual. Destes, 26% engordaram mais de 10 quilos e 14% mais de 20 quilos. Em contrapartida, 16% dos entrevistados afirmaram ter perdido peso no trabalho atual.

Dentre os fatores que mais levam os profissionais a ganharem peso, o sedentarismo, ou seja, ficar sentado na mesa a maior parte do dia, é uma das causas mais apontadas (54%). O hábito de almoçar na própria mesa também é citado por boa parte dos entrevistados (56%) como uma das causas do ganho de peso.

Além destes dois itens, ainda foram mencionados o estresse (37%), o hábito de pular refeições por conta da falta de tempo (19%), as celebrações no local de trabalho (18%) e a pressão para comer doces e afins oferecidos pelos colegas (10%).

Para manter a forma

Para deixar os quilos extras longe do escritório, a vice-presidente de recursos humanos da CareerBuilder, Rosemary Haefner, dá algumas dicas:

Troque o elevador pelas escadas;

Sempre que possível, vá até a mesa dos colegas, em vez de enviar um e-mail ou falar por telefone;

Opte por lanchinhos mais saudáveis e deixe frutas e vegetais na geladeira do escritório;

Leve sua comida ;

Troque cafés e sucos por água.

Fonte: Info Money, através do site http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=3199 acessado em 20/06/2012

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Esquece! Remédio mágico para perder peso não existe!

Uma pesquisadora da Universidade do Oregon revisou estudos sobre os suplementos de emagrecimento, e trouxe más notícias para os que esperam um remédio mágico para perder peso: isso não existe.

Melinda Manore revisitou as evidências de centenas de suplementos para perda de peso, uma indústria que só nos Estados Unidos movimenta U$ 2,4 bilhões (R$ 4,21 bi). De acordo com ela, não existe nenhuma comprovação de eles ajudam aperder peso significativamente, e muitos ainda trazem problemas de saúde.

Alguns produtos, como o chá verde, fibras e suplementos com pouca gordura, podem ter benefícios modestos na perda de peso (cerca de dois quilogramas), mas é importante saber que a maior parte dos remédios foram testados como parte de uma dieta de redução de calorias.

“Para a maioria das pessoas, a não ser que elas alterem a alimentação e comecem a se exercitar diariamente, nenhum suplemento vai ter um impacto grande”, comenta Manore.

Manore analisou remédios que entram em quatro categorias: produtos que bloqueiam a absorção de gordura ou carboidratos, estimulantes como a cafeína e a efedrina que aumentam o metabolismo, produtos que contém ácido linoleico conjugado, que modificam a composição do corpo diminuindo as gorduras, e supressores de apetite, como as fibras solúveis.

Ela descobriu que muitos produtos não passaram por bons testes clínicos, que examinassem a efetividade do remédio, e a maior parte das pesquisas não incluiu exercício físico. A maioria dos produtos mostrou menos de um quilo de redução do peso, quando comparado aos grupos com placebo.

“Eu não sei como você elimina o exercício da equação”, comenta Manore. “O exercício é crucial não só para perder peso e manter a massa muscular, mas também para manter o peso”.

Em geral, o que as pessoas querem é perder peso e manter ou aumentar a massa magra. Não há evidência de que algum suplemento faça isso. E alguns têm efeitos colaterais, desde simples, como gases, até muitos sérios, como derrames e problemas de coração.

Manore comenta que a chave para perder peso é comer alimentos integrais, frutas, vegetais e carnes magras, reduzir o número de calorias ingeridas, e se manter em movimento. Dependendo do indivíduo, aumentar a quantidade de proteínas pode ser bom (especialmente aqueles que não querem perder a massa magra), mas o único modo de perder peso é modificar o estilo de vida.

“Adicionar fibras, cálcio, proteína e tomar chá verde pode ajudar”, afirma. “Mas nenhum desses vai ter muito efeito a não ser que você se exercite, coma frutas e vegetais”.

As linhas gerais de Manore, sobre estilo de vida, incluem:

* Não saia de casa pela manhã sem ter um plano para a janta. Comer espontaneamente geralmente dá margem para opções mais pobres.

* Comece a refeição com muita salada, molhos de baixa caloria ou uma sopa com base de legumes. Você vai se sentir muito mais cheio e não vai comer tanto depois. Melhor ainda: peça apenas um aperitivo como extra à salada.

* Ache formas de se manter em movimento, principalmente se o seu trabalho é sedentário. Manore afirma que ela usa telefones sem fio para poder andar enquanto conversa. Durante reuniões longas, peça para ficar em pé ou caminhe por pequenos períodos, assim você não fica sentado o tempo todo.

* Coloque vegetais em toda refeição possível. Coloque no molho da massa, junto às carnes, ou apenas coma frutas e vegetais sempre que der fome.

* Aumente as fibras. A maioria das pessoas não come fibras suficientes.

* Tente comer as frutas e vegetais ao invés de bebê-los. Comer uma maçã é melhor do que um suco de maçã. Também é melhor comer alimentos que ocupam mais espaço, como frutas maiores.

* Elimine os alimentos processados. Manore comenta que algumas pesquisas mostram que esse tipo de comida é pior para a digestão.

Fonte: Science Daily, através do site http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2782 em 09/03/2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

5 dicas para tornar sua alimentação mais prazerosa

Preparamos 5 dicas super fácies e simples para tornar o momento da refeição algo divertido e gostoso para você e sua família, confira:

Dica #1: Sirva os alimentos em travessas e pratos bonitos

Aqui vale lembrar que beleza não é sinônimo de coisa cara e sim de bom gosto.
Não sirva os alimentos em  panelas, travessas lascadas ou trincadas. 
Tenha sempre o cuidado com a apresentação da comida. Afinal, todos nós começamos a comer com os olhos.
Um alimento bem apresentado deixa a gente curioso pra querer provar!
Ah... e se você quiser dar um destaque ainda mais especial a sua comida, sirva-os em travessas e pratos brancos. Pois assim as cores dos alimentos ficarão super realçadas!




Dica #2: Decore suas preparações com
ervas e especiarias

Sabe quando você vai a um restaurante e o prato vem com uma raminha de salsa ou cebolinha ou manjericão?
Aquilo não é lindo aos olhos?
Então...e porque você acha que não merece esse mimo em casa também?
É super simples e fácil, afinal esses ingredientes são itens básicos de qualquer cozinha. 
Basta higienizar e pronto! 
Você já tem com o que decorar seus pratos!



Dica #3: Coloque rodelas de laranja ou limão dentro da jarra de água ou suco

A princípio parece uma coisa super boba, mas dá um charme super especial à refeição.
Sem contar que você acaba estimulando as pessoas a consumirem água ou suco ao invés dos refrigerantes, por exemplo.
Você pode colocar fatia de laranja ou limão dentro de uma jarra simplesmente com água filtrada ou colocar nos sucos.
Aproveite para soltar a criatividade e decorar sua bebida com outras frutas.
Deixe sua imaginação rolar solta!



Dica #4: Alimente-se em locais calmos e agradáveis

Evite ver TV ou escutar rádio neste momento. Torne o ato de alimentar-se ainda mais prazeroso colocando ao fundo uma música suave e calma. Algo bem tranqüilo, que faça você parar por alguns minutos e apreciar a cor e o sabor dos alimentos que está ingerindo.
Pode parecer bobo, mas muitas vezes a gente acaba comendo rápido por causa dos ruídos a nossa volta...pense por exemplo em shoppings...quem consegue saborear com calma uma refeição em uma praça de alimentação super barulhenta?
Se quiser, vale colocar à mesa um vasinho de flor. 
Para dar um gracejo!




Dica #5: Saboreie a companhia

Por conta do corre-corre dos tempos atuais, as pessoas acabam usando o horário das refeições como reuniões com a família...Pois é um dos poucos horários que as pessoas da casa conseguem se encontrar. 
Ai aproveitam para falar do salário que não é suficiente para as contas, para puxar a orelha do filho que está indo mal na escola ou para discutir a relação do casal.
Quem consegue comer com um estresse desses?
Aproveite esse momento para os elogios! Elogiar a comida, a decoração dos pratos e da mesa, elogie quem está junto com você. Busque partilhar alegria neste momento, fale de coisas agradáveis. 

Com o tempo você vai ver que se alimentar (mesmo com um tempo curto) 
vai se tornar algo muito mais divertido e sua família também vai gostar de ter esse momento de união e diversão!

Quem sabe um dia ainda vai chegar o tempo em que todos da família ficarão na cozinha rindo e se divertindo enquanto a refeição é preparada...assim como era feito antigamente. Aonde a cozinha era o centro da casa!


Tente fazer isso com sua família nem que seja aos domingos...
você vai perceber que os alimentos tem o poder de unir as pessoas!



quinta-feira, 21 de junho de 2012

Orgânicos, conheça um pouco mais sobre eles!

O que é um alimento orgânico?


Trata-se do alimento produzido em sistemas que não utilizam agrotóxicos (inseticidas, herbicidas, fungicidas, nematicidas) e outros insumos artificiais tóxicos (adubos químicos altamente solúveis), organismos geneticamente modificados – OGM / transgênicos ou radiações ionizantes. Esses elementos são excluídos do processo de produção, transformação, armazenamento e transporte, privilegiando a preservação da saúde do homem, dos animais e do meio ambiente, com respeito ao trabalho humano.


Quando podemos dizer que um produto alimentar é orgânico?
Considera-se produto da agricultura orgânica, seja in natura ou processado, todo aquele obtido através dos princípios e normas específicas da produção agropecuária ou industrial orgânica. Para um alimento processado ser considerado orgânico e receber o selo de qualidade, é preciso que contenha pelo menos 95% de ingredientes originados da agricultura orgânica.

Como saber se o produto é orgânico?
Existem instituições certificadoras e associações que são responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização da produção. Cerca de 20 certificadoras atuam no Brasil.


Conheça as diferentes formas de produção de alimentos:

A agricultura orgânica busca o equilíbrio nas técnicas de produção 
para chegar o mais próximo possível do que acontece na natureza. 
As práticas utilizadas nas propriedades orgânicas apontam para o convívio inteligente com a natureza.

Desde que abandonou a vida primitiva, o homem vem modificando intensamente o ambiente em que vive. Nesse processo, houve alteração de hábitos alimentares pela introdução de substâncias tóxicas, alimentos excessivamente processados, irradiados, geneticamente alterados, além do consumo exagerado de gorduras, açúcares e sódio, conforme tabela abaixo,



E SE NÃO FOR POSSÍVEL CONSUMIR ORGÂNICOS?
Como reduzir os resíduos de agrotóxicos dos alimentos convencionais?

Dê preferência à compra de frutas e verduras da épocaFora da estação adequada é quase certo que uma fruta, verdura ou legume tenha recebido cargas maiores de agrotóxicos. É por isso que, quando você não encontrar tomate, cebola ou outros produtos na feira orgânica, não está na época deles. Escolha outro produto que os substitua em termos nutricionais;
• Como ainda são poucas as frutas produzidas organicamente, procure sempre descascar as frutas, em especial os pêssegos, pêras e maçãs. Alguns resíduos de agrotóxicos ficam depositados nas cascas;
Lave bem as frutas e verduras em água corrente e coloque-as numa solução de água com um pouco de vinagre (4 colheres para 1 litro). Esse procedimento pode reduzir uma pequena parte dos resíduos de agrotóxicos de contato, além de possíveis contaminações microbiológicas;
Retire as folhas externas das verduras que, em geral, concentram mais agrotóxicos;
Retire a gordura das carnes e a pele do frangopois algumas substâncias tóxicas se acumulam em tecidos adiposos;
Diversifique nas hortaliças e frutas. Além de propiciar boa variedade de nutrientes, reduz a chance de
exposição a um mesmo agrotóxico empregado pelo agricultor;
Dê preferência aos produtos nacionais e de sua região. Alimentos que percorrem longas distâncias, como os importados de outros países ou de regiões distantes, normalmente são pulverizados pós-colheita e possuem alto nível de contaminação por agrotóxicos.


Todas as informações acima foram retiradas do guia "ALIMENTOS ORGÂNICOS, Um guia para o consumidor consciente", de Moacir Roberto Darolt.

Gostou do texto e quer ter acesso ao guia na íntegra?
Então clique no link abaixo e baixe a versão em pdf:
Versão em PDF do Guia Alimentos Orgânicos






quarta-feira, 20 de junho de 2012

Leve marmita para o trabalho e economize de forma saudável

Quem trabalha fora sabe quanto se gasta ao comer em restaurantes e lanchonetes na rua. Além disso, é difícil garantir uma alimentação saudável e balanceada com as tentações dos restaurantes self service e com as opções rápidas de lanches e salgados – aliados da falta de tempo, mas vilões para a saúde.

Mas há um jeito de aliar mudança de hábitos alimentares e economia de dinheiro: levar alimentos preparados em casa para as refeições no trabalho, a popular marmita.

Trocar o almoço nos restaurantes por marmita pode trazer vários benefícios, dos mais saudáveis aos financeiros. Primeiro porque, no supermercado temos a liberdade de escolher legumes e verduras mais saudáveis e livres de agrotóxicos. E em casa, o tratamento e higienização dos alimentos podem ser feitos com mais cautela. Garantindo o maior sabor e segurança para sua alimentação.

Segundo informações do Finanças na Balança, uma pessoa que recebe diariamente R$ 12 de vale alimentação, pode acumular cerca de R$ 3.168,00, em um ano (264 dias úteis). O valor economizado pode financiar um curso, computador ou até mesmo as férias.

Os brasileiros gastam hoje mais que o dobro do que gastavam há nove anos para comer fora de casa, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular. Esse fato está impulsionando o crescimento do setor de alimentação fora do lar ou food service.

Uma pesquisa mostrou que o almoço fora de casa custa, em média, R$ 27,46 no Brasil. O valor representa um aumento de 2,54% em relação ao levantamento apresentado no ano passado, que apontava a média de R$ 26,78. Neste mesmo período (janeiro a outubro de 2011), o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) específico dos alimentos e bebidas evolui 4,76% e o IPCA geral avançou 5,43%.  Segundo dados da pesquisa, o aumento dos estabelecimentos de até 50 lugares – que passaram a representar 34% da amostra contra 18% do ano passado –, motivou a pequena variação do preço médio de refeição. Os restaurantes com 50 ou mais lugares (66% de amostra) tiveram um crescimento médio de 10% no valor da refeição completa.

Bom para o bolso e para a saúde

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o número de brasileiros obesos aumentou consideravelmente nos últimos anos. Em 2004, dois em cada quatro brasileiros estava acima do peso, hoje a proporção é de um em cada dois, ou seja, metade da população sofre de obesidade.

O ideal é preparar refeições caseiras, que possam ser mais balanceadas e sobre as quais o consumidor tem controle da procedência de todos os ingredientes. 

Comer na rua frequentemente significa aumentar significativamente a quantidade de sal e condimentos nos pratos, com isso, também aumentam as quantidades de sódio, gordura e açúcares.

Bom para o corpo e para o bolso de quem toma o novo hábito, com dinheiro mais bem aplicado e poupança de saúde a longo prazo.

Fonte: Consumidor Moderno
Por: Paula Furlan, através do site http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2798 em 12/03/2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Beber água auxilia no equilíbrio do peso corporal

Em 2010 foi publicada uma interessante revisão sobre os efeitos da ingestão de água no controle de peso. Os resultados mostraram que beber água resulta numa ingestão menor de calorias e maiores taxas de oxidação de gordura quando comparado a outras bebidas. O leitor aqui vai se perguntar: então água emagrece?! A resposta é: sim!

Não quer dizer que a água tenha um componente mágico e emagrecedor. Ao beber mais água, o indivíduo deixa de consumir bebidas calóricas como sucos, chás e refrigerantes adoçados. Mesmo que essas bebidas tenham um índice glicêmico considerado baixo, podem fornecer em torno de 120 a 200 kcal/por porção e essa quantidade de açúcar eleva a concentração de insulina, resultando momentaneamente na diminuição da queima de gordura.

O consumo de refrigerantes do tipo “cola”, sucos e leite pode agregar 10 a 15% a mais de calorias numa refeição quando comparados a beber água, refrigerante diet ou não beber nada. Estratégias como ensinar e estimular as crianças a beber água durante o dia nas escolas resultaram numa manutenção do IMC, quando comparados ao grupo de crianças que não recebeu esse estímulo.

Ainda faltam dados sobre intervenções randomizadas e a longo prazo sobre o efeito da ingestão hídrica na perda de peso e prevenção da obesidade em crianças e adultos, mas pode-se dizer que há fortes evidências para recomendar o aumento no consumo de água para o controle do peso.

Fonte: Nutrition Today, através do site http://www.meunutricionista.com.br/noticias.exibir.php?id=2770 em 07/03/2012