quarta-feira, 29 de maio de 2013

Mais uma receitinha bem prática!

 CUBOS DE ERVAS PARA CHÁ GELADO

  1. Faça chá suficiente para colocar na forma de gelo. Assim, é possível usar os cubos no chá gelado, evitando que se dilua
  2. Quando se solidificarem (cerca de 2 horas), coloque os cubos em um copo e complete com o chá gelado
  3. Decore o chá com folhas da mesma erva que você utilizou. Experimente também com fatias de limão ou laranja.

Decocção: Este método é usado para ervas mais resistentes com junípero e raiz de angélica. Coloque 500 ml de água em uma panela e junte 2-4 colheres (sopa) cheias da erva escolhida. Quando ferver, tampe, abaixe o fogo e espere esfriar por 10 minutos. Coe e beba, ou mantenha na geladeira por 1 semana, tampado.

Frio, o chá perde parte do sabor, por isso coloque 1/3 a mais de erva para fazer seu chá gelado. Espere o chá esfriar antes de acrescentar o gelo. Use ervas com sabores similares à hortelã ou com toque cítrico, como capim-limão.

Uma vez vi num casamento Suco de Uva com Capim Santo.
Vou te falar que estava suave, mas era SUPER refrescante. E numa apresentação cuidadosa fica super fino!

Tentem e me contem, ok?

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Temperos Funcionais


O uso de temperos tem grande contribuição para os sabores e aromas da culinária. Na escolha dos temperos é necessário cuidado, pois produtos industrializados como: massa de tomate, caldos em tabletes ou em pó, realçadores de sabor, etc., muitas vezes trazem no rótulo informações como: “tempero natural”, “ingredientes naturais”; mas na verdade, contém gorduras trans, corantes, aromatizantes artificiais e outras substâncias que atrasam a digestão e provocam irritação gástrica e intestinal.

Em substituição aos produtos industrializados,  são  bem  vindos os  temperos  que a natureza nos oferta e que, além de sabores diferenciados,  contém substâncias saudáveis como: óleos essenciais, antioxidantes e constituintes funcionais. 

Seguem alguns exemplos:
1. Tomate (para carnes, molhos): é muito rico em vitaminas, principalmente B, C, K e A; também em minerais, sobretudo magnésio. Tem propriedades diurética e laxativa, além de promover a eliminação do ácido úrico. Apresenta o Licopeno, substância que lhe dá a cor vermelha, composto bioativo que atua na prevenção de cânceres, principalmente de próstata. Dê preferência ao tomate orgânico, em função de que é comum o uso de agrotóxicos para o cultivo.   

2. Limão (para saladas, em substituição ao vinagre): Rico em vitamina C que melhora a absorção de ferro pelo organismo,também combate radicais livres, prevene o escorbuto e o envelhecimento precoce. 


3. Uvas (uva itália/passas para tempero de saladas)Ricas em vitaminas C e do complexo B além da grande quantidade de minerais: potássio, magnésio, enxofre, ferro, cálcio e fósforo. Estimula a função hepática, é alcalinizante combatendo a acidez sanguínea, sendo indicada para pessoas intoxicadas pelo excessivo consumo de carnes. Tem ação diurética, desintoxicante, estimulante do apetite, tônica e reconstituinte das funções intestinais (anti-flatulenta, laxativa e anti-fermentativa). Os flavonóides presentes nas cascas previnem a aterosclerose e o câncer. OBSERVAÇÃO: o sulfato de cobre pulverizado nas videiras pode ser removido deixando-se as uvas de molho em solução de água com vinagre.

4. Cebola (tempero universal para carnes, arroz, molhos, saladas, etc.)Contém vitamina C, acido fólico e minerais como o potássio. Contém compostos sulfúricos “Allium” que atuam na circulação sanguínea evitando formação de coágulos e hipertensão arterial. Estimula a secreção estomacal e biliar, melhorando a digestão e é benéfico em doenças infecciosas como resfriado, tosse, bronquite, etc. É um alimento prebiótico, ou seja, promove a colonização benéfica da flora intestinal.

5. Alho (para carnes, arroz, molhos)Rico em selênio e germânio, atua como antioxidante e regulador do sistema imunológico. Também contém cálcio, fósforo, ferro, potássio e vitaminas A, B1, B2 e C. Apresenta um componente denominado Alicina que tem ação antibiótica, reduz colesterol, controla a hipertensão arterial e a glicose sanguínea e tem ação anti-cancerígena. É um alimento prebiótico, promovendo colonização da flora intestinal benéfica. 

6. Gengibre (tempero para o cozimento de frutas, para chás e sucos)Contém cálcio, fósforo, ferro e niacina. É eficaz na prevenção da náusea e aumento do apetite de pessoas inapetentes uma vez que estimula a salivação. Atua na digestão, na flatulência  (gases) e como relaxante em cólicas. Também reduz a formação de coágulos sanguíneos melhorando a circulação e evitando doenças cardiovasculares; combate tosse, gripe, resfriados, bronquite, reumatismos e artrites. 

7. Semente de Gergelim (tempero de saladas, omeletes, preparações salgadas e doces)É rico em vitaminas A, E, B1, B2, niacina, cálcio, fósforo, ferro, fibras e óleos essenciais: ômega-3 e ômega-6, removendo gorduras saturadas sanguíneas (protetor cárdio-circulatório). Age contra radicais livres prevenindo o envelhecimento; é rico em fitoestrógeno, protetor contra o câncer, doenças cardiovasculares e osteoporose. Apresenta ação energética (medicina chinesa) sobre o pulmão, baço, pâncreas, fígado e rins.

8. Semente de linhaça (tempero de saladas, omeletes, preparações salgadas e doces, batidas e sucos)rica em ácidos graxos essenciais (ômega-3 – protetor do coração); atua no sistema de defesa do corpo prevenindo inflamações, sendo benéfico em doenças auto-imunes (lupus) e alergias;  possui diversos minerais incluindo o zinco. Contém fibras (mucilagem e pectina) que lhe conferem propriedades laxativas e as lignanas (precursores do estradiol). Têm atividade  anti-fúngica, anti-bacteriana e anti-carcinogênica, principalmente das mamas.

9. Sementes de girassol (tempero de saladas, em preparações quentes, biscoitos e bolos caseiros)contém vitamina D, que ajuda na absorção de cálcio e previne a osteoporose, E, complexo B e fósforo. É rica em óleos poliinsaturados, prevenindo doenças cardiovasculares; e em fitoestrógenos, que auxilia no controle de alguns hormônios sexuais e, eventualmente alivia os sintoma de TPM por atenuar a queda de estrógeno que ocorre nesta fase. Essas sementes, por ter a propriedade de reter energia solar, transmitem imensa vitalidade às pessoas que as ingere.

10. Óleo de oliva / azeitonas (tempero de saladas, especialmente, e em preparações salgadas)Ótima fonte de ácido graxo monoinsaturado ômega-9 que previne a aterosclerose, pois ajuda na diminuição do colesterol LDL (ruim) e no aumento do colesterol HDL (bom). Melhora o funcionamento do estômago e do pâncreas, sistema hepato-biliar e intestino, por estimular a produção de secreção hepática. Também ajuda na absorção das vitaminas lipossolúveis (A,D,E,K) e alguns minerais. É rico em antioxidantes (vitamina E), prevenindo o envelhecimento.

11. Salsinha/cebolinha verdeRico em antioxidantes, vitamina C, ferro, cálcio, ácido fólico e carotenos. Possui efeito diurético, benéfico em casos de retenção de líquidos, função renal insatisfatória e hipertensão arterial; também utilizado no tratamento da Gota. Bom também para anemia, catarata.






12. Orégano: Ativador do sistema digestivo e sexual; atua como diurético e anti-flatulento.











13. Manjericão
 Contém óleos essenciais capazes de excitar a atividade das mucosas das vias respiratórias e gastrointestinais; também benéfico aos rins e nervos.









14. Coentro (aromatizar peixes, frutos-de-mar, carnes brancas e legumes)
É fonte de vit. C, magnésio, cálcio, fósforo, ferro, fibras. Modera o apetite, auxilia em problemas estomacais, gases e cólicas. Tem propriedade diurética e ansiolítica (reduz a ansiedade, nervosismo).








15. Louro (feijão)
Têm ação digestiva e carminativa (anti-flatulento, contra gases); utilizado no tratamento de afecções gástricas e reumáticas.











16. Hortelã ou menta
É rico em cálcio, ferro, fósforo, vitaminas A, C, e do complexo B. Possui ação digestiva, tônica, anti-espasmótica e calmante. Purifica o hálito, combate gripe e resfriados e vermes.










17. Alecrim
Possui substâncias antioxidantes (ácido carnosóico, ácido rosmarínico, ácido ursólico), que previnem doenças cardiovasculares e estimula a circulação. Ativa a função do pâncreas (ajuda no tratamento do diabetes), auxilia na digestão e tem propriedades anti-reumáticas.


18. Canela (tempero para o cozimento de frutas, preparações doces, carne vermelha, ensopados, para chás)É rica em cálcio e seu principal constituinte ativo é o aldeído cinâmico. Tem propriedades contra gases, úlceras estomacais causadas por stress, hipertensão arterial, resfriados e dores abdominais.                            
           
                              






DICAS:
* Outros temperos naturais que podem ser utilizados: tomilho, alcaparras, funcho, manjerona, sálvia e pimenta (apesar das propriedades funcionais, o consumo exagerado da pimenta pode causar irritação gástrica).
* Molho caseiro natural de abóbora com shoyu e colorau:Cozinhar 1 pires de abóbora com um ½ xícara de água até dissolver; acrescentar shoyu e colorau, adicionar outros temperos
naturais, a gosto.  
* Receita de sal temperado natural: misturar 250g de sal marinho, 6 dentes grandes de alho
bem picado, 1 saquinho de cada: salsinha, cebolinha, coentro, manjericão, todos desidratados.Manter a mistura sob refrigeração.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Série Farmácia na Cozinha (post 12 de 12)

Chegamos ao último dia da saga de postagens voltada à utilização de ervas na culinária e seus benefícios.
Espero que tenham gostado.
Vale lembrar que essas ervas são possíveis de serem plantadas em vasos pequenos para colocar em janelas, por exemplo.
Segue abaixo tabelinhas que informam sobre o plantio, claridade e porte de cada uma das ervas citadas na saga.
Na segunda tabela fala sobre a colheita e parte utilizada.

Façam seus próprios vasinhos, é muito gostoso colher sua erva fresquinha para fazer chás ou adicionar em alguma receita. Além do que, cuidar de plantas é terapêutico.
Beijinhos verdes e aromáticos à todos!



Para conferir a matéria na íntegra, acesse

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Série Farmácia na Cozinha (post 01 de 12)


ATENÇÃO: Irei lançar posts sobre algumas ervas e sua utilização. Essa será uma série com 12 posts, sendo divulgado 1 a cada dia.

Saboreie a delícia que é utilizar temperos e ervas fresquinhas e perfumadas colhidas na hora por suas próprias mãos
Por: Cynthia de Oliveira Frank



A partir de agora, sua cozinha pode ser também sua farmácia. Uma alquimia repleta de bons aromas, vigor e bem-estar. As ervas estão aí para ajudar nisso. Cultivá-las em casa é muito mais que um hobby, pois além de enfeitar o ambiente, essas plantas cuidam da nossa saúde, restabelecendo o equilíbrio orgânico. 


Os povos da antiguidade reconheciam o seu poder terapêutico. Para os árabes, por exemplo, elas tinham valor equivalente ao do ouro. Os cozinheiros dos faraós do Egito as utilizavam em todos os pratos e, na época das grandes navegações, suas propriedades medicinais ganharam o mundo. 

Hoje estão ao alcance de todos e, se você tiver um relacionamento mais próximo com elas, certamente responderão trazendo harmonia, beleza e um requinte especial à sua mesa e ao seu corpo.

Lembre-se que todas elas podem ser utilizadas na culinária, seja no cozimento de feijões, sopas, massas e molhos, arroz, pães, saladas e sucos.Também podem ser utilizadas na forma de chás, banhos e compressas. E tudo com a vantagem adicional de serem colhidas em casa.

Para conferir a matéria na íntegra, acesse

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Restaurantes - Novidade no Blog!

Bom, vocês que não me conhecem ao vivo não sabem, mas eu ADORO comer.
Comidas diferentes então, nem se fala!
Adoro conhecer culinária e ingredientes de outros países.
E uma de minhas paixões é conhecer novos restaurantes. Meus amigos pessoais bem sabem disso! Sou uma gulosa assumida!

Outra coisa bacana é que eu adoro muito é conhecer restaurantes vegetarianos. Não que eu seja (já fui por um tempo e hoje não mais - questões pessoais), mas simpatizo bastante com a culinária vegetariana.

Digo que sou simpatizante, pelo seguinte: quando falamos "Sou vegetariano" geralmente às pessoas entendem "Ih, ela não come carne!".
Isso significa que, se tradicionalmente seu prato é composto por Arroz, Feijão, Batata frita e Carne, e somente retirar a carne, sua alimentação continua péssima!

Não é a "carne" em si, que atrapalha o ser humano, é a quantidade de carne ingerida por dia (acredite, os Brasileiros consomem MUITA carne) e a não variedade de frutas, legumes e verduras (pois acredite também o Brasil é extremamente rico nisso mas as pessoas não se aproveitam disso - Paradoxal, não?).

Então, prefiro dizer que sou uma "vegetariana simpatizante"!
Como pouca carne, não incentivo  ida a rodízios de churrasco, mas também não nego um peixinho grelhado bem feitinho. Além do que, gosto muito de ir a restaurantes vegetarianos mais elaborados, pois eles sempre trazem algo diferente e bacana no cardápio.

Aqui em São Paulo é um pouco mais fácil achar locais que se atentem à safra dos alimentos, e optam por não-frituras, pouco sal, etc...E  ainda assim fazer pratos extremamente gostosos, saudáveis e bonitos!

Poxa, nosso repertório de alimentos é tão vasto, pra quê ficar sempre nas mesmas coisas?

Pra provar que se alimentar bem fora de casa é possivel, a partir de hoje aqui no Blog, irei começar a falar sobre os restaurantes que visito.

Espero que curtam!

E pra iniciar, que tal experimentarem novos sabores?


Fica a dica pro Tandoor, Culinária Indiana

Quando fui lá, de entrada pedi Naam (que é um pão indiano). Diga-se de passagem que o pãozinho foi feito na hora e estava super quentinho e fresco! Para acompanhar o Naam pedimos também Chutneys (que é uma seleção de 3 "molhos" de: hortelã, tamarindo e papaya). Que também estavam deliciosos!
- Aproveito aqui pra deixar meu gosto pessoal: na minha opinião, o melhor dos 3 foi o de hortelã! HUMMM, tava uma delícia!!! Só de lembrar já me dá água na boca!




De prato principal: Murg Curry (pedaços de frango com curry) e, segundo o cardápio é a especialidade da casa. E para acompanhar, Kesari Pullao (arroz colorido, aromatizado com especiarias).

O arroz estava saborosíssimo assim como o frango.
Aviso aos navegantes: o frango é apimentado! Para o meu paladar estava excelente. Mas, aos menos resistentes à ardência: cuidado!




Não sou muito de beber líquidos junto com as refeições, mas às vezes, abro exceção, como neste caso. Resolvi experimentar o Sherbet (refresco indiano com essência de rosas).
Já fica a dica pro Final de Semana!
Beijinhos

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Mais um post da saga Cozinha Afetiva

Uma vez já disse que gosto da culinárioterapia.

Homens machistas costumam falar que "lugar de mulher é na cozinha", homens sábios vão para a cozinha junto com a mulher e nessa simbiose o amor alfora.

Costumo pensar que muitos relacionamentos em decadência poderiam dar certo se o casal cozinhasse junto, como um ritual. E não pensem que os filhos ou parentes devam ser excluídos, não. Muito pelo contrário, eles podem e devem serem incluídos nessa magia que está se perdendo. Afinal, praticamente todos sabemos que as famílias italianas iam unidas para a cozinha...nossos avós ainda faziam isso. Na culinária Italiana, tradicional, uma pessoa fazia a massa, outro abria, outro recheava, tudo regado a muito amor e conversas....bem, o que hoje em dia, numa cidade individualista como São Paulo é bem incomum, porém não impossível.

Enfim, meu namorido na prática, pensa da mesma forma e adoramos recepcionar amigos.
Ele toma conta dos cortes precisos e minuciosos e eu vou dando o suporte e cuido da apresentação da mesa, bem como trilha sonora.

Numa dessas sagas gastronômicas, chamamos um casal de amigos para jantarem conosco numa sexta-feira normal.

Nada de muito elaborado, mas tudo feito com muito carinho e capricho, como podem ver abaixo:

Nosso cardápio, acreditem, improvisado, continha:

Entradinhas: nozes, amendoas, pistache, e uns quitutezinhos diferentes, pois gostamos de conhecer coisas novas, como a castanha do baru (que diga-se de passagem é afrodisíaca).


Na tábua ao centro: damasco recheado com cream cheese. E em alguns deles, colocamos geléia de pimenta. 
Nas laterais da tábua, mussarela de búfala fatiada com 1/2 tomate e manjericão (do nosso vasinho).

Para acompanhar, tinham mini torradinhas. 

Ah, só pra constar, esse potinho com "algo vermelho" dentro é caviar! (desculpa ae! rsrs...mas como disse, de vez em quando experimentamos algo diferente. Aliás aconselho fazerem isso. Permitam se darem ao luxo de algumas extravagâncias de vez em quando! Todo mundo merece, inclusive você!)


Enquanto iamos comendo as entradinhas, apreciando um bom vinho ao som de um bom show em DVD e com um ótimo papo entre amigos, a Bruscheta estava em processo de preparo.

Também nada muito elaborado. Apenas utilizamos o que "sobrou".

Foi feito um "molhinho" parecido com vinagrete. Nele tinha tomate BEM picadinho, um pouco de cebola, manjericão, bastante azeite e uma pitadinha de sal.

Colocamos essa misturinha em cima de fatias de pão italiano e levamos ao forno. Nada demorado. Apenas uns 20 a 30 minutinhos só pra dar uma esquentada no recheio.

Quando a bruscheta ficou pronta, quase já não conseguíamos mais comer. Porém todos sabem que um prato bem apresentado é tudo. Que "comer" começa com os olhos.

Não preciso nem dizer que tudo o que foi feito acabou, né?


Nosso casal convidado ADOROU a recepção!
E nós anfitriões ficamos satisfeito com o resultado da noite maravilhosa.
Pra falar baixinho: Cá para nós, no final da noite, quando o casal foi embora não posso garantir se a castanha do baru fez efeito ou se foi a simbiose culinária!

Coisas simples, que nos alegram e aproximam!
Tentem!
...e depois me contem!

Bon Appetit!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Safra dos Alimentos - Mês de Maio

Safra é o período de preparo do solo até a colheita de determinados alimentos, ou seja, é a época que o alimento mais produz. O plantio e a colheita na época certa proporcionam aumento da produtividade e melhoria considerável na qualidade do alimento.

Atualmente, com o desenvolvimento de novas técnicas agrícolas, foi possível realizar o cultivo de alimentos fora da época da safra padrão. Dessa forma, podem-se encontrar praticamente todas as frutas, verduras e legumes a qualquer época do ano.


Apesar da facilidade em se obter diferentes tipos de hortifrútis ao longo do ano, vale lembrar que alguns vegetais, se estiverem fora do período de safra, acabam sendo inferiores do ponto de vista nutricional e geralmente apresentam preços mais elevados. Por isso, é muito importante saber a época certa das safras, pois os alimentos “da época” tendem a serem mais nutritivos, os preços encontram-se reduzidos e o cardápio torna-se mais variado, com alimentos mais saborosos e frescos.



Lembre-se: leve essa listinha quando for ao supermercado ou feira!